RSS

Quase amigos

19 Apr

190  images (2)

Não sei se aquilo seria correto. Mas sei lá, já estava feito e se parasse daria alguma merda.

To ligada que deviamos estar fazendo trabalhos da faculdade. Mas quem se importava com livros e edições no computador quando eramos tres jovens recem saidos da adolescencia, excitados, os três sem ninguém há um bom tempo.  Duvido muito que tudo tenha valido a pena mesmo. Mas, corpo falou mais alto, né.

Pietro era um jovem bonitão, dos que pegava muitas e ninguém sabia de nada, nunca.

Ezio era um daqueles meninos românticos melodramáticos, que irritava qualquer garota por quem se apaixonava.

E eu. Sara, uma caloura desorientada e um tanto tagarela.

Você ai do outro lado deve estar se perguntando aonda isso vai chegar. Tenha calma, leia todo o texto.

Talvez fosse ridiculo eu ter pedido uma pizza aqui em casa pra comermos enquanto faziamos o artigo da faculdade. Mas eu tava com fome, né. Erro acho que foi eu ter deixado o dinheiro cair antes de entregar pro motoboy.  Acho que você precisa de uma descrição da cena, não?

Casa com uma sala grande e confortável. Computador ligado, alguns livros abertos sobre o chão de tapete macio. Um ventilador quebrado, janelas fechadas para não entrar pó da construção do vizinho. Consequentemente, os dois garotos sem camisa. E eu de short e camiseta.

Um degrau antes da porta, um motoboy que chegou com a pizza. Uma garota desastrada que pegou o dinheiro, tropeçou no degrau e caiu de quatro na frente dos meninos. Para ajudar, levantou e abaixou para pegar o dinheiro, com o traseiro ficando pro alto.

Quando voltei, vi os dois meninos me olhando de um jeito estranho. Por algum motivo notei o quão sexy eram os meninos. Pietro, com seu óculos quadrado grande, um moicano meio caido, e um tanquinho de dar inveja a muito marombado. Ezio, um japonês magro e bem definido, com o cabelo comprido caído do lado do rosto. Minha mente teve um acesso insano e eu me visualizei na cama com aqueles dois.

Na hora senti que estava ficando molhada, e meu instinto queria que eu beijasse cada um deles e os chamasse pro quarto. Reprimi esse impulso, mas acabei ficando vermelha demais e eles notaram.

-Tá tudo bem, Sara? Você ta bem vermelha…

-T-tá, Pietro. Relaxa. Vou melhorar. Aqui, peguem a pizza, eu já volto.

Sai da sala e fui lavar o rosto. Ouvi eles conversando na sala.

-A Sara é linda, não é?

-Linda é pouco, Ezio. Você já viu aqueles olhos? Um verde claro, meio puxado. Se bem que ela não tem nada de asiática.

– É, eu já notei. E aqueles cabelos vermelhos? Descendo pelas costas e tal… Ela tem uma cinturinha bonita também.

– É…

Ri comigo mesma no banheiro. Achei exagero deles, mas me olhei no espelho ainda assim. Aquilo massageou meu ego.

O suor produzido acabou molhando bem minha camiseta, marcando muito o sutian. Nessa hora, ouvi Pietro falando com uma voz excitante:

– Comeria ela facinho.

-Porra, eu também. Já viu o tamanho daqueles peitos?  Ela é uma ruiva e tanto….

Ouvir aquilo tudo acabou me molhando mais ainda. Fui de fininho pro meu quarto, onde eu ouvia tudo da sala. Comecei a me masturbar em silêncio, de algum modo eu tinha que me saciar. Imaginar aqueles dois homens fortes na sala me comendo vorazmente me fazia delirar.

-Pietro… To ligado que tu é Bi.

Parei na hora. Estava com uns dois dedos dentro dela e uma mao no meu peito quando parei de me mexer para ouvir.

-Isso mesmo. Eu sou bissexual. Problema?

-Nenhum. Ao menos que você ache ruim o fato de eu querer pegar você também.

Soltei um gemido sem querer. Era uma espécie de Yaoi real aquilo. Extremamente excitante, e eu imaginava os dois meninos se beijando na minha frente.

-Espera aí, tu acabou de me falar que queria pegar a Sara.

-Sim. Hm….

Não tive tempo de me recuperar. A sala ficava a um passo do meu quarto, e em menos de um minuto, Pietro abria a porta do quarto e me via naquela situação constrangedora.

-EZIO! Vem ver o flagrante.

Tentei me cobrir do jeito que deu, e meu rosto estava vermelho que nem um tomate. Sabia que não adiantaria reclamar.

-Ora ora ora…. Então a mocinha ouviu tudo o que dissemos lá na sala… E ainda estava se masturbando! Ora… Isso deve ser recompensado.

Nunca vi eles agindo daquele jeito, e eu estava num mix de êxtase, tesão e medo. Ezio tinha um sorriso no rosto enquanto Pietro falava.

-Parece que a ruivinha aqui precisa de um trato… Topa, linda?

-Mas eu… nunca….

-Nunca deu? Mentira. Você mesma me contou que tua primeira foda foi na oitava.

-Nunca dei pra dois ao mesmo tempo. Estava imaginando isso….

Baixei a cabeça enquanto vi eles se entreolharem. Por algum motivo chorei e sussurrei

-Desculpa…

-Não se desculpe. Você quer não é? Então terá. Será nossa por hoje. E isso será nosso segredinho.

Olhei assustada para eles, e vi Ezio tirando a bermuda na porta do quarto. Do nada, Pietro sobe em cima de mim e me da um beijo. Um beijo quente o suficiente para fazer abrir as pernas de uma menina muito necessitada

Por baixo do nerd safado vi um Ezio completamente pelado vindo por trás de Pietro e fazendo uma massagem em seus braços. Era uma cena estranha para mim, mas ver aquele pinto duro tirou tudo da mente.

De um modo até rude, Pietro tirou minha roupa. Virei de costas por instinto, é algo que sempre acabo fazendo.De relance, vi Ezio beijando o garoto que me deixara nua. E tirando sua roupa. Baixei uma das mãos e comecei a me masturbar de novo.

Pietro encostou na parede, sentado na minha cama. Me puxou pra cima do colo dele, e eu senti que sentava num pau muito duro e bem grosso. Ezio segurou minhas maos para tras, tentando se encaixar a todo jeito também.

Pietro puxou meu cabelo, liberando meu pescoço e mordendo-o

-Não era isso que tu queria, vadia? Agora tu vai fazer tudo o que a gente mandar….

Soltei um gemido forte, e abri bem as pernas por cima de Pietro.

-Passa a mão nela, Ezio. Olha como essa puta ta molhada…

-Porque não para de falar, cachorro? – sussurrei entre dentes

-Hahahahha, olha só Pio…. Ela acha que manda alguma coisa.

Senti Ezio se encaixar exatamente embaixo de mim, por cima das pernas de Pietro.  Segurou minhas mãos para baixo, na barriga e sgurou meus punhos, travando meu corpo e me fazendo empinar um pouco o traseiro pra ele.

Nisso, Pietro entrava  e saia devagar, me fazendo sentir cada centimetro de seu pau.

-Enfia logo nela, Ezio. To cansado de ir devagar.

Achei que ele ia enfiar no meu rabo. Nunca tinha feito sexo anal ainda, e fiquei com bastante medo…

Só que soltei um gemido de prazer ao sentir Ezio se encaixando aos poucos na minha bocetinha. Era um pouco doloroso dois paus grossos entrando de uma vez, mas nunca senti tanto prazer antes.

Comecei a gemer, alto, continuamente, a cada estocada que eles davam. Senti Ezio entrar mais devagar e mais fundo do que Pietro, eu sentia ele segurar meus punhos com uma mão e arranhar de leve minhas costas com a outra. Isso me deixava louca para mais sexo.

Sentia Pietro ir mais rapido e menos fundo que Ezio, mas com mesmo vigor e necessidade.ele soltou meu cabelo e começava a dar uns tapas na lateral da minha coxa.

Aqueles tapas ardiam um pouco, e eu adorava. Gemia e ofegava a cada estocada dos meninos.

-Quem vai beber minha porra? Não to a fim de engravidar a Sara. – Pietro disse isso num gemido forte.

-Quer que eu faça as honras, Pio? – Ezio estocava cada vez mais forte, gemendo e me arranhando. – Acho que vou gozar também… Quero ser chupado hoje.

-Eu… posso chupar um de vocês garotos.

-Ótimo, vadia. Então vem me chupar. Agora.

Nisso, Pietro saiu de dentro de mim, e ficou sentado na minha frente, encostado na parede. Com isso, Ezio fez pressão no meu corpo e eu fiquei de quatro.  Apoiando o cotovelo na cama, consegui apoio suficiente para chupar Pietro enquanto o outro me fodia fortemente.

Segurei aquela pica enorme com as duas mãos e comecei a lamber a ponta e sugar a cabeça. Ouvi aquele gostoso gemer incontrolavelmente e empurrar a minha cabeça mais pra baixo.

Senti o pau dele latejar, sabia que aquela porra vinha com força…

Continuava a sugar mais e mais o pau dele, alternando gemidos com ofegadas fortes. Sentia Ezio mais solto, mas ainda mais devagar enquanto me comia de quatro.

De repente, Pietro segurou minha cabeça com as duas mãos e empurrou com tudo pra baixo, soltando um gemido longo e alto. Senti minha boca encher de porra, e eu não queria perder uma gota. Inacreditavelmente, tinha um gosto adocicado e estava muito quente. Ele puxou minha cabeça pra cima, me fazendo erguer o corpo. Senti Ezio por tras segurando meus braços pra me manter erguida, e sem parar de estocar.

Pietro ainda agarrava meu cabelo, mordeu meu pescoço e me fez gemer.

-Vadia…

Baixou a mão direto para minha vagina, e senti ele mexendo sem dó nem piedade no meu clitóris. Aquilo me deixava doida.

-Pietro, sai dai. Quero comer essa vadia como ela merece. Me arruma uma camisinha. Ela merece uma gozada dentro.

Ele me soltou, e Ezio baixou o corpo. Apoiei a cabeça de lado no colchão e pude ver os dois homens se beijando de um modo extremamente intenso. Aquilo me excitou tanto quanto Pietro me tocando, e eu senti meu corpo contrair…. Ia gozar.

-E…zio… Me fode….

Senti ele ajeitar o corpo, segurar meu quadril e a me foder com força.

Comecou a me bater tambem, e a arranhar minhas costas. Ele metia com mais e mais força. Vi Pietro entrar no quarto com a camisinha, e vi ele por no outro.

Senti meus olhos virarem quando Ezio enfiou com tudo, e notei que aquela camisinha era das que esquentava.

Cravei os dedos no lençol e comecei a gemer mais alto, empinando mais o traseiro.

– SUA PUTA! Rebola, vai! VAI,CACHORRA!

Ele me batia com muita força, ardia, eu adorava aquilo. Eu gemia mais e mais, sem parar, quase sem fôlego.

Senti Ezio me fodendo cada vez mais rapido e mais forte, e sentia minha musculatura se endurecer.

Num esforço maior, num ofegar forte e um tapa mais forte ainda, senti o cara que me comia enfiar o mais fundo que pôde. Ele havia gozado, e pelo meu respirar, eu também tinha…

Ele se jogou na cama ao meu lado, me puxou e me beijou. Esgotada,deitei ao lado dele. Pietro estava numa poltrona, com cara de quem queria mais.

Vendo o nosso estado, esgotados, pingando suor, ele levantou.  Veio até a beira da minha cama, ajoelhou e comecou a me lamber.

Quase vi estrelas. Ele chupava muito bem. Acabei empurrando a cabeça dele para baixo, pra lamber mais fundo. Ele explorava tudo o que eu tinha, com um dedo no meu rabo. Ele me chupava tanto e tão bem que me fez gozar de novo na boca dele.

Ele levantou e secou o rosto. Olhou pro lado.

-Ah… que pena… Ele já dormiu… Eu to cansadão… Vou dormir agarrado com você, Sarinha….

Deitou do meu lado. Me deu um beijo quente, que me instigou a transar outra vez. Só que eu não aguentava mais. Deitei no colo dele e dormi. Fui acordar com a outra moça que dividia a casa com a gente chegando. Ouvi barulho de uma garota, e elas se beijavam.

Sorri pra mim. Alguém tambem ia ter uma boa foda…

 
Leave a comment

Posted by on April 19, 2013 in Contos, outros, Sexo

 

Tags: ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: