RSS

Sexo é imaginação.Fantasia…Amor é prosa, Sexo é poesia…

25 Apr

Ele tem vinte anos, eu tenho dezessete. Faz diferença? Mais ou menos, desde que a policia nao pegue. No momento, eu duvido que faça diferença, só estou pensando nas coisinhas feitas com o Yan… nas quais eu adoraria repetir. Lembro exatamente como aconteceu…

De algum modo ele descobriu onde eu estudo. Claro, é só perguntar onde a menina baixinha de cabelo laranja estuda, fica fácil. Lembro  que ele estava de carro, e me buscou na escola, por algum motivo alheio ao meu conhecimento; claro, eu passo todas as tardes sozinhas em casa. Entao minha mente voou longe, mas me contive. Yanzinho nunca ficou sozinho comigo.

E ele me levava pra casa. Joguei a mochila no banco de trás do carro, ouvi um tilintar de vidro e olhei. Vodka. Ice. Vinho tinto, pqp, meu favorito. Voltando pro meu lugar, o carro passa por cima de um buraco, e acabo caindo em cima do colo do Yan. Vermelha, peço desculpas, mas sinto ele começar a me acariciar. Olho no fundo dos olhos dele, e vejo desejo. Passo a lingua nos labios, e deixo a camiseta larga cair no ombro, mostrando boa parte do sutian… Será que seria ali no carro mesmo?

Talvez nao fosse tudo no carro, mas ali que comecou. Ouvi um sussurro basico vindo dele, em meio as caricias e a concentração falha na direção. “aproveita…chupa vai?”

E nao tive duvidas. Abri o zíper de sua calça, baixei a cueca do jeito que deu, e ali vi, e quase me assustei, nunca vi uma pica tao bonita e tao grande, nao como aquela. Lisa, a cabeça bem exposta, nao muito grossa, nem muito comprida, do tamanho ideal… Nao aguentei, tinha que saborear. E baixei a cabeça, e passei a lingua com pressão na ponta daquele pau tao duro, e fui pondo a cabeça dele dentro da minha boca, sugando, fazendo uma leve pressão. Pondo cada vez mais pra dentro, até onde eu aguentava, subindo e descendo a cabeça, num movimento continuo e rapido. Ouvi Yan gemendo, e isso me excitava cada vez mais. Com uma das mãos, desabotoei a calça e comecei a me masturbar. Nunca me vi tão molhada, tão excitada. Com aquele pau na boca, consegui folego o suficiente para tambem gemer.

images

“Ah, amor, não faz assim ou eu não aguento até chegar na sua casa…” Entao, subi a cabeça.. “Me force a parar… ou me castigue.” ”É assim então? Pois continue. você é uma menina muito má.”

Minha maldade queria parar, mas continuei chupando, saborando, me deliciando com aquela pica, sem parar, e ouvindo Yan gemer e perder um pouco o controle. Senti ele me pegar pelo cabelo e empurrar minha cabeça mais fundo, com mais intensidade “Vadia… engole…” Senti a porra dele vindo, enchendo minha boca, e nao deixei escapar nenhuma gota, nao deixei escorrer. Engoli, ele arfava um pouco, mas continuava duro, o que era uma tentação. Recuperei o folego, ele nao esperava, voltei a chupa-lo, com mais suavidade, mais calma. mantive isso por um tempo, ai minha bochecha ficou dormente. Parei, mas continue a provoca-lo com as maos, tanto me masturbando quanto masturbando ele.

E finalmente chegamos em casa, por sorte continuava vazia. Subi as escadas na frente dele, e o senti beliscando minha bunda, seguido por um tapa na mesma. Sorri maliciosamente, ainda ouvindo o tilintar do vidro das garrafas nas maos dele. “Safado mesmo…”

Entramos em casa, e fui pro quarto tirar as coisas da escola das costas. Voltei, cheguei na cozinha e ele tava com duas taças de vinho na mão. Entregou uma pra mim e me abraçou. “Vai me embebedar, yan?”  “Naah…qué isso haha” “Entao que tal irmos pro quarto porque nao aguento mais esperar?”

parede_sexo

Me agarrou e me encostou na parede. Senti o gosto do vinho na boca dele, que o deixava ainda mais apetitoso. Ele passou dos meus labios para meu pescoço, me arrepiando, me fazendo gemer.  “Mas tão facil assim, baby?Voce é mesmo uma garotinha com vontade…” “Posso ser o que voce quiser hoje, querido. So pedir” Ouvi ele dar uma risada suave “Entao voce vai ser minha putinha, e vai fazer o que eu mandar” “me obrigue, querido.”

E ele obrigou. Me pegou pela cintura, me levou até a cama, arrancou minha roupa. começou a me chupar, intensidade, a lingua navegando pela minha boceta já molhada. Começou a passar os dedos tambem, enfiando um, dois, intensamente, me fazendo gemer descontrolada, entregue.

Senti ele subir o corpo e erguer minhas pernas, entrando devagar, me fazendo sentir cada detalhe dele dentro de mim, o que me levou a loucura. Ele se forçava pra dentro cada vez mais,mais fundo e mais forte e intenso.

Abracei seu corpo, minhas unhas são curtas, ainda assim arranhei suas costas, o que o fez largar minhas pernas e colar meu corpo no dele. Eu gemia, arqueava o corpo, e Yan ofegava, o quadril colado no meu, gemendo e estocando mais e mais. Até que o senti latejar, gemer com mais prazer, com mais intensidade. Senti gozar de um modo que eu nao esperava, o senti relaxar. Ele deitou do meu lado, e eu levantei. Fui até a cozinha, peguei as duas taças de vinho e levei para o quarto, entregando a do Yan.

Ajoelhei na cama ao lado dele, sentando sobre as pernas e bebi um gole. De propósito, fiz escorrer um pouco de vinho para os meus peitos, e olhei pra ele com uma cara de safada. Sorrindo, maroto, veio e com  a boca limpou o vinho dos meus peitos. Minha mao passou pelo seu cabelo, num gemido baixo, ergui a cabeça.Ele deitou, e eu fui por cima dele, enfiando aquela pica- que ja tava realmente dura de novo – inteira na minha boceta. E cavalgava, gemendo, rebolando, sem parar.

33

Ele me fodia sem medo, prendendo meus braços pra tras, puxando meu cabelo “Rebola, vadia… vai!” e dando tapas ardidos na minha bunda, que realmente me faziam rebolar e implorar por mais. E eu gemia, e arranhava seu peito, e mordia seu pescoço. Sentia ele entregue totalmente, e era o que eu queria, o Yanzinho só pra mim. Pensar nisso me relaxou, me fez o corpo entregar por completo.

E eu pressionava o quadril pra baixo, para sentir ele o mais fundo que eu podia, senti-lo, me satisfazer tambem. Rebolando, senti minha boceta contrair, pressionando aquela pica maravilhosa, prendendo-a.

“Vai gozar, linda?” Gemi em resposta “Entao vai…Solta tudo o que tiver. Vai. Se entrega. Nao tem graça só eu aqui.”

Entao continuei rebolando, sentindo-o, estimulando meu clitoris no corpo dele. Sabia que ele estava sentindo meu calor, minha entrega, e isso me dava mais e mais prazer, e eu ja nao controlava o barulho feito.

E gemia.E senti meu corpo contraindo inteiro, arrepiando,  ofegando, e gemendo mais uma vez. E nisso, sentir meu corpo dar uma grande contraida e relaxar. Gozei, da forma mais simples e prazerosa que eu consegui.

“Deita. Agora quero sentir seu gosto depois de gozar…. e voce precisa relaxar um pouco.”

Deitei, abri as pernas, abri bem, deixei ele se aproveitar ao máximo. Ele lambia com vontade, sugava, acabava comigo mais uma vez, e eu sentia que ia gozar de novo a cada passada de lingua dele. Até que ele resolveu colocar os dedos para agir de novo, e com as mãos mágicas dele eu não aguentei. Gozei na lingua dele, e o senti limpar toda a minha boceta.

“Fica de quatro, linda. Vou abusar de você mais um pouco” E deu um tapa na minha coxa. Eu, sem prever nada, virei, empinei bastante a bunda, me deixando totalmente exposta. E ele me pegou. Mas pegou com força, agarrou de verdade o quadril, e quando achei que ele ia foder minha boceta, não, surpresa, ele enfiou com tudo de uma só vez no meu cuzinho.

ventrelamber_chupar

E soltei um gemido. De dor, de prazer, de tesão bem saciado, não sei. Só sei que gemi. “Ta gostoso, linda?” “Está…seu…ahmm…puta que pariu, isso ta delicioso…” Intercalava palavras com gemidos de prazer e dor, porque realmente estava bom. Nunca senti esse tipo de prazer, nao em tanta intensidade. Ele estocava devagar, indo aos poucos mais fundo, mais intenso, de um modo que eu nunca tinha sentido antes.

“Seu cuzinho é tao apertadinho gata… acho que vou gozar já…” E realmente gozou. Senti o pau dele relaxar, e numa estocada realmente forte, que me rasgou inteira – mas que adorei-, senti a porra dele entrando, lotando meu cu.Com essa sensação, acabei gozando tambem, mais uma vez.

E ele saiu de trás de mim. Deitou na cama, exausto, meu puxou, me beijou de forma intensa, mas sem tanto animo para mais uma foda. Abraçados, senti ele adormecer quase imediatamente. Aconchegada nos braços dele, adormeci.

___

Foi mal aê, mas a branquinha aqui tem fantasias, tá? xD

Shiro Niahn ou… Sunny ;3

 
Leave a comment

Posted by on April 25, 2013 in Contos, outros, Sexo

 

Tags: , , , , , ,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: